Histórico

A Redarte-SP foi criada, sob a inspiração da experiência bem sucedida na Redarte-RJ, no final dos anos 1990, época em que as instituições da área de artes na cidade de São Paulo estavam total ou parcialmente informatizadas e já tinham condições de liderar esforços cooperativos. Nas décadas anteriores, apesar de algumas iniciativas pontuais, como a elaboração do Vocabulário Controlado de Arte – com apoio do Instituto Cultural Itaú – predominava o trabalho realizado de forma isolada.

Nessa época foi criado o Vocabulário Controlado em Artes do Espetáculo, uma ferramenta valiosa para assegurar a qualidade da representação temática dos documentos nessas áreas. Na área de artes visuais, verificou-se que bibliotecas, arquivos e centros de documentação estavam ainda muito distantes do dia-a- dia dos profissionais das artes, o que resultava na subutilização de grande parte da informação ali existente. Essa situação foi analisada em tese de doutoramento de Maria Chistina Barbosa de Almeida, apresentada à Universidade de São Paulo, que serviu de estímulo à formação da Redarte- SP.

Em seus dois primeiros anos de atuação regular, a Redarte-SP elaborou um guia de instituições da área de artes e criou seu website, hospedado pelo Instituto Goethe, além de promover eventos e reuniões regulares dos profissionais integrantes.

Depois de alguns anos de inatividade, a Redarte-SP volta a se articular em 2016, com novos projetos e novos integrantes.

 

REFERÊNCIAS

ALMEIDA, Maria Christina Barbosa de. Por uma rearquitetura dos serviços de informação em arte da cidade de São Paulo. 1998. Tese (Doutorado em Ciência da Informação). Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo. Disponível em: https://christinaalmeidaeasbibliotecas.wordpress.com/2014/01/17/por-uma- rearquitetura-dos-servicos- de-informacao- em-arte- da-cidade- de-sao- paulo-1998/.  Acesso em 10 jun. 2016.

ALMEIDA, M. C. B. de; PINA, P. REDARTE-SP: integrando recursos de informação em arte da cidade de São Paulo. Comunicação & Educação, Brasil, v. 12, n. 1, 2010. Disponível em http://www.revistas.univerciencia.org/index.php/comeduc/article/view/7080. Acesso em 10 jun. 2016.

Anúncios